«há música, poesia, força e sentimento na tua prosa»



iv

Os mais cépticos hão-de chamar a atenção para a boca que fala e todos os dias alimenta o corpo suado e quente, para a mão que ainda discorre, ou para o pensamento abundante, os incrédulos não saberão o que dizer e por isso nada dirão, os eloquentes afirmarão que já o tinham notado e, sob juramento a Hipócrates, alguns poderão até garantir que ela já estava morta, antes mesmo de morrer naquela tarde. A esses, e apenas a esses, ela responderá quão falaciosa pode ser a observação, confundir sumariamente algumas facadas antigas, com a expiação letal a que o golpe jugular submete. Os crentes, que nada hão-de questionar, ocupar-se-ão, tranquilos, do epitáfio: aqui jaz a mulher que já morreu.