«há música, poesia, força e sentimento na tua prosa»



...

Vénus entregar-se-á a Júpiter, na grande elipse do universo imaginário, entre o dia de hoje e o dia de amanhã, eis o que nos anunciam as grandes máquinas metálicas. O brilho há-de jorrar a biliões de quilómetros de distância, sémen galáctico que alimentará todas as fôrras inalcançáveis. 

Termino de carregar os últimos mantimentos na velha passarola. Parto para o Valle de la Luna. Os pés descalços, no corpo, um vestido florido, no peito, as palavras do poeta:

Al final tú con los labios secos por el tabaco negro de una noche aparentemente fría, te me acercarás en silencio para decirme: “moriremos solos”.