«há música, poesia, força e sentimento na tua prosa»



Um slogan anda em todas as bocas: « O povo unido, jamais será vencido!» Mas o povo, a falar verdade, ainda mal sabe o que se passa, e por enquanto não se encontra unido a ninguém, nem a coisa nenhuma. Às vilas das províncias, às aldeias, mal chegam ecos do que se passou em Lisboa. Os emigrantes, num reflexo de defesa - mudança é sempre insegurança - suspendem as remessas de dinheiro e ordenam às famílias que retirem quanto dinheiro têm no banco, «pois dizem que os comunistas nos vão tirar tudo».
É triste a ignorância dos pobres, a qual se mede ainda melhor quando se sabe que durante meses, de aldeia para aldeia corre, e é tomado a sério, o boato de que o Governo dos comunistas irá confiscar as panelas de pressão.