«há música, poesia, força e sentimento na tua prosa»



A fábula final

"«A andorinha disse ao pássaro: és um animal desprezível porque te alimentas das porcarias do chão. O pássaro respondeu: as porcarias que alimentam o meu voo comigo se elevam.» [...] sugeriu-lhe uma outra resposta ainda: «É um privilégio saber alimentar-me das coisas do chão. Tu, que não o tens, estás obrigada à fuga eterna.»"

[Italo Svevo, Um Embuste Perfeito, Quasi, 2008, tradução de Vasco Gato]